“Eo-Alimenta: Liderado do comum e transdisciplinaridade” por Emilio Carral Vilariño (2021)

Emilio Carral Vilariño, professor de Biologia Funcional na Escola Politécnica Superior de Lugo e membro do grupo Galabra da USC, carateriza num pequeno texto o projeto “Eo Alimenta”:

“Oficialmente, o projeto Eo Alimenta é uma Estratégia Alimentar Participativa que, através da promoção da participação social, procura desenvolver uma análise da bacia alimentar do rio Eo e construir um modelo proativo para um novo equilíbrio entre procura e produção de alimentos. Isto é, estamos a falar de soberania alimentar, de fenda alimentar, de liderado coletivo e trabalho transdisciplinar. Acho que este projeto terá resultado exitoso se no seu encerramento ficar chantada a primeira pedra (e alguma mais, se for possível) duma estrutura de liderado grupal que continue avançando no recinto dos desafios da sustentabilidade.

Os diferentes atores, e especialmente a Academia, devem considerar todo este processo não só uma achega de colaborações científico-técnicas. Também temos a obrigação de fazer o desenho dum quadro de acção que coloque de maneira permanente a reflexão crítica, a inclusão e o cuidado de todos os aspetos da vida como objetivo e método transversal da pesquisa.

Para o universo da Academia, ao qual pertenço, é realmente um grande desafio que impõe uma mudança do “métrico” para o “mérito”, da simples pesquisa com o norte de produção de publicações científicas para o desenvolvimento dum trabalho interdisciplinar com o objetivo do cuidado das pessoas e do planeta. Trata-se de uma mudança da pesquisa a fim de ter presente o inclusivo, o mais marginalizado (a aldeia, a mulher, as pessoas idosas…); uma mudança da pesquisa que reconheça a situação individual e do comum para desenhar estratégias de autocuidado e solidariedade.

Eo-Alimenta não é, na minha opinião, somente um projeto de sustentabilidade para um território específico: é um projeto de sustentabilidade para a Academia (na forma de investigar) e para a Sociedade”.